O QUE É?

Em breves palavras, o que significa a aquaponia?

A aquaponia é um ecossistema simbiótico de produção alimentar, que combina as técnicas da aquacultura em recirculação (piscicultura em circuito fechado) com as técnicas da hidroponia (cultivo de plantas sem solo através do contacto da raiz com uma solução nutritiva). Portanto, coloca-se no mesmo circuito de água a vertente de aquacultura e a hidropónica, constituindo um único circuito principal, em que os peixes, através do seu metabolismo, produzem variados nutrientes na água. Depois, a água atravessa um sistema de filtragem, passa pelas raízes das plantas, estas absorvem este fertilizante natural, crescendo saudavelmente e, em simultâneo, limpando a água que regressa aos tanques dos peixes. É o sistema circular perfeito, em que a água é totalmente reciclada, sem que ocorra o seu desperdício, ao mesmo tempo que, num espaço reduzido, podemos produzir intensivamente peixe e uma variedade enorme de vegetais de forma absolutamente natural, orgânica e sustentável.

VANTAGENS E BENEFÍCIOS

Económicas, ambientais, nutricionais, sociais e educacionais.

São várias as vantagens e benefícios da aquaponia como sistema produtivo alimentar. Destacam-se as seguintes:

  • Poupança de água. A aquaponia permite poupanças de água superiores a 90% face a outros sistemas de produção convencional aquícolas e agrícolas.
  • Inexistência de águas residuais. Não ocorrem, portanto, quaisquer descargas de efluentes para o exterior ou meio ambiente, já que toda a água é reciclada.
  • Elevadíssima produtividade por área simultaneamente de peixe e de vegetais (chegando a 20 vezes superior ao modelo orgânico convencional), sem necessidade de solo (podendo produzir-se em estufa num terraço ou num armazém).
  • Mantém as características integralmente naturais dos produtos, sem utilização de fertilizantes sintéticos, sem pesticidas, sem medicação e sem contaminantes (metais pesados, microplásticos, etc.), uma vez que se tira proveito de ambientes controlados.
  • Auto-suficiência alimentar. É a ferramenta ideal para incrementar a soberania alimentar sustentável e saudável de um país, região ou cidade, no que respeita a peixe e vegetais.
  • Confiança. Quando o consumidor entende a aquaponia, rapidamente percebe que a aquaponia beneficia de uma “certificação natural”: não se pode usar pesticidas nas plantas, pois afeta os peixes; não se pode usar medicação nos peixes, pois afeta as plantas!
  • Proximidade, Conveniência e disponibilidade local. Por ser muito produtiva, ocupar pouco espaço e não requerer solo agrícola, a aquaponia é um sistema ideal de agricultura (e aquicultura) urbana, próximo do consumidor, aumentando a frescura, diminuindo o transporte (emissões de gases) e diminuindo o desperdício alimentar.
  • Modo de produção ergonómica. Porque não trabalhamos no solo, desenhamos e adaptamos os equipamentos para que o trabalho seja efetuado a um nível cómodo, sem necessidade de agachamento e movimentos difíceis, além que deixa de ser necessário a eliminação de ervas daninhas. Tudo isto facilita e possibilita o envolvimento de pessoas idosas e com dificuldades físicas.
  • Excelente ferramenta educacional e científica. A aquaponia tem demonstrado ser uma forma ideal para ensinar as mais variadas disciplinas escolares, desde a ciência, biologia, botânica, ictiologia, física, química, matemática, nutrição, economia, administração, etc. A prática aliada às matérias torna todo o processo educativo mais motivante e perfeito para integração nas escolas, assim como para a investigação em universidades.
  • Prática da policultura. Na aquaponia é desejável o cultivo vegetal multiespecífico, sendo frequente uma grande diversidade de espécies produzidas no mesmo sistema, o que possibilita uma maior homogeneização do perfil dos nutrientes. A ocorrência de bactérias aeróbicas e outros organismos benéficos é encorajada, ampliando a saúde geral do sistema e impedindo-se a possibilidade de desenvolvimento de organismos patogénicos.
  • Poupança de energia. A aquaponia não requer o uso de máquinas agrícolas nem equipamentos pesados, o que também contribui para a redução do consumo de energia e da pegada ecológica. A aquaponia serve-se de práticas racionais do ponto de vista do consumo energético, como as técnicas hidráulicas apoiadas na gravidade.
  • Adaptado às alterações climáticas. Pelo reduzido consumo de água e pelo ambiente controlado (em estufa ou edifício), a aquaponia permite produzir em condições adversas do ponto de vista climático, quer em climas frios, quer em climas quentes e áridos, sendo também um sistema ideal para vencer os constrangimentos da sazonalidade, podendo tal ser economicamente utilizado a favor do produtor.
Selecione a moeda
EUR Euro
BRL Real brasileiro